fbpx

HPV


O que é o HPV?

O papilomavírus humano (HPV) pertence a uma família de vírus transmitidos através do contato sexual.

O HPV pode afetar tanto as mulheres como os homens. A maior parte das pessoas contrai o HPV em algum momento da vida, mas sem maiores consequências.

A infecção pelo papilomavírus humano (HPV) é a principal causa de câncer do colo do útero em mulheres, sendo também um fator de risco para o câncer de pênis em homens e para o câncer anal em homens e mulheres.

Os mesmos tipos de HPV que infectam a região genital podem infectar a boca e a garganta.

O HPV geralmente é transmitido de uma pessoa a outra através do contato pele a pele durante qualquer tipo de relação sexual. O HPV pode ser transmitido por uma pessoa infectada mesmo que ela não apresente nenhum sinal nem sintoma.

Existem mais de 100 tipos de HPV, os quais são identificados por diferentes números. Alguns tipos só causam verrugas genitais ou anais, enquanto outros podem causar câncer de colo do útero, pênis, ânus ou boca.

Quais os tipos de HPV?

Os tipos de HPV de baixo risco causam verrugas genitais em mulheres e homens, mas não câncer.

Os tipos de HPV de alto risco podem causar câncer. A causa principal do câncer cervicouterino é uma infecção persistente ou crônica por um ou mais tipos de HPV de alto risco que causam alterações anormais nas células do colo do útero. Além disso, os tipos de alto risco podem causar alterações anormais em células associadas a uma ampla variedade de outros cânceres, como o câncer de pênis, ânus ou boca.

Como prevenir?

  • educar meninas e meninos sobre a sexualidade e a infecção pelo HPV, de acordo com sua idade e cultura;
  • promover o uso da vacina contra o HPV;
  • promover o uso de preservativos a quem já tenha iniciado a vida sexual;
  • advertir sobre os riscos do uso de tabaco.
  • A vacina do HPV serve para prevenir a infecção pelo HPV antes do início da vida sexual, isto é, antes da provável infecção pelo HPV.
  • A vacina é aplicada em meninas com idade entre 9 e 13 anos. A Organização Pan-Americana da Saúde, atualmente, não recomenda a vacinação de meninos.
  • O uso de preservativos não protege completamente contra o HPV, embora possa proteger de outras infecções e da gravidez não desejada.

Como detectar a infecção pelo HPV?

O teste do HPV detecta se há ou não infecção pelo HPV; caso a infecção seja de alto risco, a mulher terá maior probabilidade de apresentar lesões no colo de útero e lesões precursoras no futuro. O exame do HPV é feito em mulheres com mais de 30 anos de idade, em um intervalo de 5 a 10 anos, segundo os protocolos do país.

Os exames para a detecção precoce do câncer cervicouterino — o teste de Papanicolau ou citologia e a Inspeção Visual com Ácido Acético (IVAA ou VIA) — detectam possíveis lesões causadas pelo HPV.

A detecção precoce é feita para identificar a presença de lesões precursoras causadas pelo HPV, que devem ser tratadas antes que evoluam para o câncer.

Como tratar a infecção pelo HPV?

Embora não haja cura para a infecção pelo HPV, existem tratamentos para as verrugas, lesões e alterações pré- cancerosas (precursoras) e cancerosas causadas pelo vírus.

Verrugas

  • As verrugas genitais são protuberâncias suaves, úmidas e da cor da pele. Em mulheres, as verrugas se localizam ao redor da vagina, no colo do útero ou no ânus. Em homens, as verrugas genitais são menos comuns, mas podem aparecer na extremidade do pênis.
  • As verrugas causadas pelo vírus HPV podem desaparecer por si sós, ou pode ser preciso removê-las. Se as verrugas não são mais visíveis, isso nem sempre significa que a infecção desapareceu, e é possível que as verrugas reapareçam.

Alterações nas células do colo do útero

  • Muitas das infecções pelo HPV desaparecem por si sós, sem tratamento. Apenas um pequeno número de infecções persistentes de alto risco evolui para o câncer cervicouterino, geralmente em mulheres com mais de 30 anos de idade.
  • A infecção pelo HPV é muito comum em mulheres com menos de 30 anos, mas na maioria dos casos a infecção desaparece por si só.
  • Se a infecção pelo HPV persistir e se tornar crônica, há um maior risco de que ela se transforme numa lesão precursora ou em câncer.
  • Se forem detectadas alterações nas células do colo do útero, o diagnóstico é feito com exames chamados colposcopia e biópsia; dependendo do país, as lesões podem ser tratadas imediatamente.
  • O tratamento de mulheres que tenham resultado positivo para HPV ou que apresentem lesões precursoras pode prevenir o câncer do colo do útero.

Fonte: OPS OMS

Compartilhe!

Agende sua Consulta